Entre os dias 29 e 30 de março coordenadores e pesquisadores Maristas estiveram reunidos no Centro Marista Marcelino Champagnat (CMMC), em Curitiba, para o 1º Encontro de Centros, Museus, Historiais e Memoriais do Brasil Marista. Organizado pelo setor de Vida Consagrada e Laicato da UMBRASIL, o evento teve como objetivo promover o trabalho sinérgico entre as Províncias para criar uma rede nacional de Centros, Museus, Historiais e Memoriais.

O evento qualifica e amplia a preservação dos bens históricos materiais e imateriais do Instituto, para facilitar a sua disponibilização para a Família Marista, Igreja e demais interessados, promove o compartilhamento de experiências entre os coordenadores de diversos espaços de pesquisa do Brasil Marista, a elaboração de diretrizes para orientar os processos de construção da Rede, a definição de uma plataforma comum entre todas as unidades, a definição de políticas de armazenamento e disponibilização de dados e materiais históricos e, por fim, a elaboração de uma proposta de modelo de parcerias com instituições de ensino superior.

De acordo com Paulo Afonso de Araújo Quermes, da UMBRASIL, este encontro é importante pois possibilita o diálogo entre as diversas experiências brasileiras com pesquisa Marista. “Hoje, a nossa história está registrada nos diversos espaços de maneira desarticulada e a ideia é iniciar um trabalho integrado, respeitando a diversidade e as expressões culturais de cada Província”, afirma. Para ele, isto significa que o Memorial de Curitiba não será igual ao Memorial do Rio Grande do Sul e de Belo Horizonte, mas todos terão uma alma Marista. Espera-se que até 2021, a Rede esteja consolidada e em funcionamento e que apresente a todos a história Marista dentro do contexto da história da humanidade, da educação e da cultura do Brasil.

Para o Ir. Benê Oliveira, Vice-Provincial da Província Marista Brasil Centro-Sul, sediar um evento desta importância no espaço onde está sendo construído um Memorial Marista é uma satisfação muito grande. “Este encontro é importante por ser a primeira iniciativa do Brasil Marista para reunir pessoas e centros que se ocupam da preservação da memória histórica do Instituto Marista, do Brasil Marista e de cada Província em particular e também porque ele está ocorrendo em um marco do Bicentenário do Instituto Marista; agora estes espaços de pesquisa se incumbem de contar uma história de duzentos anos de vida Marista”, afirma.

No primeiro dia de encontro, no período da manhã, o encontro contou com a acolhida aos representantes de espaços de pesquisa da Província Brasil Centro-Norte, Província Marista Brasil Centro-Sul (Grupo Marista) e Província Marista Brasil Sul-Amazônia e um momento formativo com uma palestra proferida pelo Prof. Dr. Renato Augusto Carneiro Júnior sobre o papel dos museus, centros, historiais e memoriais na atualidade e os caminhos para as congregações religiosas.

No período da tarde, houve a apresentação sobre os espaços de pesquisa do Brasil Marista como o Centro de Estudos Maristas de Belo Horizonte (MG), o Historial Marista de APICUPOS de Recife (PE), o Centro de Patrimônio e Espiritualidade Marista CEPEM, de Viamão (RS), o Museu de Ciências e Tecnologia PUCRS, de Porto Alegre (RS), Memorial do Colégio Marista Arquidiocesano (SP) e o Arquivo Provincial, o Círculo de Estudos Bandeirantes e o Memorial Marista, de Curitiba (PR). Em seguida, os participantes refletiram a respeito de como a instituição se sente frente a proposta de constituição de uma futura rede marista.

De acordo com Simone Monteiro, da Província Marista Sul-Amazônia, a mobilização para este encontro é fundamental para dar os primeiros passos em direção ao trabalho em rede e a valorização e resgate da memória Marista. “Tenho certeza que esta rede proporcionará a divulgação da nossa história para diversos públicos e de formas diferentes”, afirma.

Rogério Amaro da Silva, da Província Marista Brasil Centro Norte também vê como positiva a iniciativa de reunir os representantes de espaços de pesquisa das províncias para compartilhar experiências e alinhar processos. Os Centros de Estudos Maristas de Minas Gerais já tem uma caminhada no trabalho em rede, pois integram a Rede do Centro de Memória de Minas Gerais. Esta experiência está sendo muito produtiva para eles. “Agora com esta possibilidade do Brasil Marista trabalhar em rede, certamente a história Marista terá mais visibilidade e faremos um trabalho enriquecedor de reconhecimento do patrimônio histórico e documental da presença marista na história da educação católica brasileira”, afirma.

O segundo dia do encontro iniciou com uma apresentação a respeito do Programa Pergamum da PUCPR e sua utilização na Rede do Brasil Marista. Em seguida, houve a condução de um momento mais prático quanto a confecção do projeto da Rede Brasil Marista de Centros, Museus, Historiais e Memoriais. Foram definidos os princípios e regras que devem orientar o processo de formação da Rede e houve um espaço para reflexão e diálogo sobre possíveis parcerias com as Instituições de Ensino Superior Comunitárias e Federais. Para finalizar o encontro, foi realizado um fechamento com a definição das equipes de trabalho e matriz de responsabilidades. Os participantes retornam aos seus espaços de pesquisa com um novo olhar sobre o trabalho e com a esperança de um “novo começo” para a realização das suas atividades compartilhadas.