Evangelizar − “dar a boa notícia” − é o propósito da Igreja. Impulsionada pelo Espírito Santo, a Igreja – respectivamente expressão institucional e comunidade de batizados − empenha-se em anunciar e testemunhar Jesus Cristo, cujo núcleo central de sua vida e ensinamento é o Reino de Deus (Cf. Evangelii Gaudium, n. 111). São sinais da presença do Reino de Deus entre nós: o amor ao próximo; a abertura ao diálogo com as pessoas, saberes e culturas; as relações fraternas; a solidariedade; a misericórdia e o serviço ao bem comum; a fé, a esperança e a caridade; a promoção da justiça e da paz; e do bem comum; a oração; ação litúrgica e sacramental; a catequese; e demais experiências de encontro pessoal com Cristo (CELAM Aparecida, n. 11). É tarefa de toda a comunidade cristã promover o Reino de Deus entre as pessoas e as culturas, pondo em prática um projeto pleno de ser humano e de sociedade.

A Pastoral, por sua vez, caracteriza-se pelo cuidado sistemático e organizado na condução da evangelização. Desenvolve para isso metodologias, linguagens e ações diversificadas, com a finalidade de tornar a mensagem cristã significativa e eficaz em cada realidade e junto aos diferentes interlocutores.

No Instituto Marista, a evangelização ocorre no âmbito da educação e da promoção e defesa das crianças, adolescentes e jovens, preferencialmente os que se encontram em situação de vulnerabilidade. Agimos inspirados nas virtudes de Maria, nossa mãe espiritual, modelo de educadora e de seguimento de Jesus Cristo.

No Grupo Marista, a ação evangelizadora ocorre de forma criativa e sensível aos sinais dos tempos, ou seja, de maneira “inculturada”. Perpassa todas as instâncias, buscando conexão com temas universais e elementos congêneres ao Evangelho. Por ora, os elementos inculturadores são: a Dignidade Humana; a Educação Emancipadora; a Espiritualidade; a Alteridade; a Solidariedade Socioambiental; a Catequese; as Infâncias e Juventudes; e os Valores Maristas.

Certas circunstâncias e contingências podem nos condicionar a buscar alternativas para a evangelização. Os ensinamentos do Vaticano II nos asseguram que Deus está presente em outras tradições que não as nossas e cada pessoa deve tomar suas próprias decisões no terreno da fé e da adesão a Cristo. Todavia, em situações de pluralismo religioso, testemunhamos o Reino de Deus vivendo nossa tradição religiosa e assumindo nosso compromisso de fé, mas encorajando todas as pessoas com quem entramos em contato a praticar sua fé de acordo com sua herança religiosa. (Ir. Seán Samon, Superior Geral 2001 – 2009)