No dia 15 de junho, a Católica de Santa Catarina e o 14º Batalhão da Polícia Militar de Jaraguá do Sul assinaram um convênio para desenvolver um software que ajudará no controle dos presos do regime aberto do Presídio Regional de Jaraguá do Sul.

O sistema será desenvolvido por acadêmicos do Curso de Sistemas de Informação da Católica SC, que participam do Projeto Comunitário – componente curricular da Instituição que prevê a participação dos alunos em 30 horas de atividades sociais. O objetivo do software é auxiliar na fiscalização dos presidiários que cumprem regime domiciliar e possibilitar o compartilhamento simultâneo de informações sobre os detentos entre a Polícia Militar, a direção do presídio e o Poder Judiciário.

O coordenador do Curso de Sistemas de Informação, Maurício Henning, explica que programa permitirá que o policial militar tenha, em seu tablet, a localização exata das residências dos detentos, para eventuais visitas de fiscalização. A integração de dados entre os diferentes setores ligados à segurança pública também possibilitará que as autoridades tenham acesso a todo o histórico dos presos.

Se o detento não estiver em casa nos horários determinados para o cumprimento da pena, por exemplo, o policial militar que fez a visita preenche um relatório que ficará disponível no sistema, junto com as outras informações sobre o presidiário. Depois, esse documento é encaminhado ao juiz, que pode ordenar a regressão da pena do preso para o regime fechado, por causa do descumprimento das regras.

O sistema será desenvolvido para dispositivos móveis com utilização de programas do Google, como o Google Maps. A previsão é de que o software comece a funcionar ainda neste semestre. Segundo Henning, não haverá custos para implantar o programa. “A PM já possui os tablets e a infraestrutura de servidores. Já o software será desenvolvido durante as horas de projeto dos alunos”, comenta.

Hoje, o Presídio Regional tem 150 presos cumprindo pena no regime aberto. Durante a fiscalização, os policiais preenchem o relatório à mão, tabulam os dados no quartel e entregam pessoalmente no Fórum. Com o software, tudo ficará mais rápido, pois o relatório será digitado no próprio tablete e disponibilizado na hora ao juiz.

“É uma tarefa demorada e, por isso, precisamos de muitos policiais para realizá-la. Como o efetivo é escasso, acreditamos que essa modernidade vai otimizar bastante o nosso trabalho”, avalia o responsável pela 1ª Companhia do 14º Batalhão da Polícia Militar, capitão Veloso, que acompanhará a criação do programa.

Também participam da parceria o JaraguaTec – Núcleo de Inovação e Pesquisas Tecnológicas de Jaraguá do Sul, anexo à Católica SC, e a Associação “Amigos do 14º Batalhão” – entidade que busca dar assistência à Polícia Militar do município, planejando e executando projetos que ajudam no combate à criminalidade.

A responsável pelo Projeto Comunitário, professora Diva Spezia Ranghetti, destaca que o objetivo do componente curricular é integrar a Católica de Santa Catarina e a comunidade. “Dessa forma, incentivamos a formação cidadã dos acadêmicos de acordo com a missão do projeto pedagógico da Instituição: formar cidadãos éticos, justos e solidários para a transformação da sociedade”, destaca.