O dia 18 de maio foi criado para dar visibilidade ao enfrentamento da violência sexual de crianças e adolescentes. Dados do Disque 100 revelam a importância de toda a sociedade fortalecer as mobilizações em torno deste dia. Apenas em 2015, o serviço de denúncia registrou 80.437 violações de direitos humanos contra crianças e adolescentes, das quais 17.583 foram de violência sexual. A maior parte dos casos refere-se a meninas e meninos de 4 a 11 anos (40%), seguidos por crianças e adolescentes de 12 a 17 (31%) e de 0 a 3 (16%).

Por isso, a Rede Marista de Solidariedade (RMS), por meio do Centro Marista de Defesa da Infância, lança o novo site da Campanha Defenda-se, que traz materiais educativos sobre a autodefesa de crianças contra o abuso e a exploração sexual.

O espaço foi criado para facilitar e ampliar o acesso de crianças, familiares, educadores e outros profissionais, que fazem o atendimento direto a meninos e meninas, a materiais de qualidade que auxiliem nos processos de enfrentamento à violência sexual, tornando a navegabilidade simples tanto para crianças, quanto para adultos. Agora, além de poder assistir aos vídeos nas diferentes linguagens (LIBRAS, áudio-descrição, legendas em português, inglês e espanhol) e ouvi-los por meio de spots para rádio, também será possível fazer download desses materiais.

A RMS acredita que, se bem informadas, as crianças podem ser agentes importantes na quebra deste ciclo de violência. “O objetivo do novo site é democratizar o acesso aos materiais da Campanha Defenda-se a todos que desejam promover algum tipo de mobilização de enfrentamento à violência sexual de crianças e adolescentes”, afirma Vinícius Gallon, coordenador da campanha Defenda-se.

Outra novidade é o espaço criado para compartilhamento de práticas educativas desenvolvidas a partir da Campanha. Nele, educadores de todo o país poderão trocar experiências sobre como desenvolveram atividades educativas para defesa dos direitos de crianças e adolescentes. “A ideia é promover um espaço de intercâmbio de experiências educativas embasadas na Campanha, a fim de que educadores de todo o país possam inscrever as atividades que têm desenvolvido e inspirar aqueles que ainda não sabem como incluir a autodefesa e a educação em sexualidade em suas práticas pedagógicas”, explica Vinícius Gallon.

Sobre a Campanha

A campanha “Defenda-se” contribui com as políticas de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, especialmente no campo da prevenção, ao promover a autoproteção de meninos e meninas contra o abuso e a exploração sexual por meio de vídeos educativos de versão amigável.

Os vídeos ilustram situações cotidianas em que a criança pode se defender, seja relatando a violência para alguém de confiança, ou fazendo a denúncia diretamente para o Disque 100, que recebe e encaminha denúncias de violações de direitos humanos. O site do projeto é www.defenda-se.com