Entre os dias 26 e 28 de outubro, Irmãos, Leigos, Leigas, colaboradores e pastoralistas estão reunidos no Centro Marista Marcelino Champagnat (CMMC), em Curitiba, para a realização da Assembleia de Pastoral. Com o tema “Um novo começo: discipulado, mística e missão” e o lema “…E pôs-se a caminhar com eles (Lc 24, 15b)”, o evento reúne mais de 100 participantes, representantes das diversas frentes de missão do Grupo Marista.

O processo da Assembleia de Pastoral teve início em 2015, com a vocação de trazer para a Pastoral do Grupo Marista uma nova animação e vigor. Como proposta, proporcionar um processo participativo de definição de horizontes à luz do Bicentenário do Instituto Marista, sendo dividido em três fases: Pré-Assembleia, Assembleia de Pastoral e Pós-Assembleia.

De acordo com Cesar Leandro, Diretor do Setor de Pastoral, a primeira fase contou com um momento de escuta das realidades. Por meio dela, foram visitadas todas as Unidades, para ouvir aos apelos dos pastoralistas. Desta escuta, foram extraídos os insumos que subsidiaram a construção dos horizontes pastorais em encontros regionais. Neste momento, o Grupo Marista vivencia a Assembleia propriamente dita, que é o momento da celebração, do estudo e da elaboração dos direcionamentos pastorais em nível Provincial. Todo esse material será ratificado pelo Conselho Provincial e receberá o tratamento necessário para que se torne balizador para a revisão dos processos locais e documentos e diretrizes provinciais.

A cerimônia de abertura da Assembleia, na quarta-feira (26), iniciou com a participação dos educandos do Centro Social Marista Curitiba, que adentraram o auditório Ir. Basílio Rueda entoando cantos litúrgicos, inspirando todos para o início dos trabalhos. Em seguida, o Ir. João Batista, Diretor Institucional do Setor de Pastoral, deu as boas-vindas aos participantes e comentou que “a Assembleia de Pastoral constitui um momento privilegiado para o Grupo Marista e uma ocasião de voltar o olhar para a atual Ação Evangelizadora realizada nas diversas unidades, com o intuito de rever processos e seguir adiante na Missão Marista”.

Em um momento de partilha foi possível perceber as expectativas dos participantes. Glaucio Mota, assessor de Pastoral da Rede Marista de Solidariedade, espera que a Assembleia continue sendo “um espaço democrático e de proposição de ações”. Rony Ahlfeldt, da Diretoria Executiva da Rede de Colégios, salienta que o seu grande sonho “é formar uma escola em pastoral, fazendo com que o educacional e a pastoral caminhem cada vez mais juntos”.

Representando a Pastoral da Área de Saúde do Grupo Marista, Márcio Pelinski afirma que está muito satisfeito com o processo da Assembleia de Pastoral e salienta que o trabalho que está sendo realizado será muito importante para que eles continuem cuidando dos Montagne que de alguma forma precisam de apoio e acolhida nas nossas unidades de saúde.

De acordo com Lúcia Coelho, da Diretoria de Desenvolvimento Humano e Organizacional (DHO), a expectativa das áreas corporativas é que a dimensão da missão fique cada vez mais latente no dia a dia. “Espero que a pastoral perpasse todos os nossos processos e sempre esteja presente no nosso modo de gerir e de tomar decisões”, explica. Vitor Divino, da FTD, também comenta sobre a sua esperança de criar um corpo pastoral cada vez mais intenso dentro da editora. “Espero que possamos fazer pastoral gerando unidade na diversidade e valorizando cada vez mais a nossa identidade Marista”, diz.

Ernesto Sienna, do Setor de Vida Consagrada e Laicato, afirma que a Assembleia deve ser um processo contínuo. “Este evento não pode ser um ponto de chegada; ele precisa ser um ponto de partida de onde alargamos as nossas tendas para ir a novas terras na Missão Marista”, afirma. O Ir. Ivo Strobino diz que se São Marcelino estivesse na Assembleia, certamente estaria surpreso com o resultado da sua obra e daria aos participantes um recado importante: reforce sua fé e torne Jesus Cristo conhecido e amado.

Após o espaço aberto de partilha, houve um momento de explanação da UMBRASIL sobre a Missão no Instituto e a importância da ação evangelizadora, nas vozes do Ir. Valter Zancanaro e do Ricardo Mariz e, posteriormente, o encerramento das atividades, com a participação do Superior Provincial, Ir. Joaquim Sperandio. Em seu discurso, ele evidenciou três focos principais que devem permear o trabalho dos pastoralistas nas unidades: não perder o foco do cuidado de si mesmo para poder ser testemunho de vida; todos os dias levar adiante a mensagem do Reino aos colaboradores da unidade e reconhecer o papel fundamental das crianças e jovens e ser presença entre eles.

Metodologicamente, a Assembleia de Pastoral foi dividida em três blocos temáticos: Rosto Mariano, Opção Preferencial e Vida Marista. Cada bloco terá uma dinâmica específica e será um espaço propício para discutir todos os assuntos inerentes ao processo de animação e escuta pastoral. O segundo dia de Assembleia, na quinta-feira (27), terá uma dinâmica bem específica. No período da manhã, os participantes percorrem todos estes blocos e depois aprofundam a discussão em um tema de sua escolha. No final do dia haverá uma plenária seguida de um jantar celebrativo.

O terceiro dia de Assembleia, na sexta-feira (28) contará com as considerações gerais do processo e a dinâmica da sua continuidade, a decisão sobre a formatação de todo o conteúdo abordado durante as discussões nos blocos temáticos para a construção de novas diretrizes e, por fim, a explanação sobre a continuidade do trabalho na Pós-Assembleia. A programação será finalizada com uma missa partilhada, com a intenção de inspirar os participantes em dar continuidade ao seu trabalho, levando adiante e tornando cada vez mais vivo o sonho de Champagnat.