Karibu não é uma palavra apenas, é um modo de ser dos africanos. Esse termo da língua suaíli significa “bem-vindo, bem-vinda”, e expressa a alma acolhedora deste povo. É como os membros do Secretariado Ampliado dos Leigos do Instituto Marista se sentiram ao serem recebidos nas terras quenianas por todas as pessoas, sobretudo pelos Irmãos Maristas. O grupo esteve entre os dias 29 de maio a 3 de junho, em Nairóbi.

A primeira parte da agenda foi dedicada à reunião conjunta com a Comissão de Irmãos e Leigos da África. Na troca de experiências, o grupo conheceu melhor a realidade das quatro províncias e 22 países do continente, apresentou as contribuições do Secretariado dos Leigos para o XXII Capítulo Geral e as perspectivas do laicato para os próximos anos. Momento significativo foi o contato com os Irmãos escolásticos de toda a África que estão no Marist International College (MIC). Os membros do Secretariado conversaram sobre vocação marista de leigos e leigas e como se pode desenvolvê-la na África, além de rezarem juntos e celebrar a comunhão na mesa partilhada. O restante dos dias foi dedicado à pauta do Secretariado, que incluiu, entre outros temas, o documento Ser marista leigo e a nova versão do Projeto de Vida do MChFM, ambos a serem apresentados no Capítulo. O Secretariado viu a necessidade de esperar as orientações que virão dos capitulares, em outubro, para então fazer o planejamento dos próximos anos. Ao mesmo tempo procurou indicar algumas sugestões mais imediatas, a fim de dar continuidade aos processos que já estão em andamento nas várias partes do Instituto.

Além do diretor, Irmão Javier Espinosa, e dos co-diretores leigos Pep Buetas e Kate Fogarty, há um representante de cada região do Instituto, sendo as províncias do Brasil representadas por João Luis Fedel Gonçalves, da PMBCS (Grupo Marista).